Zetra lança campanha de combate à violência doméstica

O aplicativo eConsig, que atende a mais de 4 milhões de trabalhadores, será um meio para a busca de soluções de crescimento dos casos no Brasil com a pandemia

O combate à violência doméstica ganhou mais uma parceira no Brasil, a fintech Zetra. A exemplo das ações de responsabilidade social concretizadas por grandes empresas privadas, a Zetra passará a disponibilizar em seu aplicativo eConsig um botão de emergência para que as mulheres trabalhadoras possam denunciar agressões de forma discreta, segura e efetiva.

A novidade, disponível no link https://www.zetra.com.br/nao-violencia-contra-mulher/ estará acessível a partir do dia 22 de abril para mais de 4 milhões de usuários da plataforma em todo o Brasil. “A maioria (53%) dos usuários da nossa tecnologia é composta por mulheres. Infelizmente, historicamente ainda é um grupo de pessoas extremamente vulnerável. Por isso, a partir de agora, elas poderão usar nosso aplicativo como um canal discreto para buscar ajuda das autoridades e denunciarem abusos. Estamos muito orgulhosos por disponibilizar nossa capacidade técnica e institucional a favor da sociedade”, afirma Rosy Araujo, fundadora e conselheira da Zetra.

Para visualizar o botão de emergência, basta atualizar o app eConsig, fazer o login e visualizar na tela inicial, no canto superior.

 

A violência doméstica na pandemia

O isolamento social mudou drasticamente a vida das pessoas. As mulheres em condições de vulnerabilidade e os idosos, por integrarem o principal grupo de risco, precisaram conviver por mais tempo com seus parentes. A ideia de mantê-los por perto tinha o objetivo de protegê-los. No entanto, a convivência que era menor, devido à jornada de trabalho, compromissos externos e todas as atividades do dia a dia, acabou gerando uma série de problemas e muitos casos de agressões físicas.

“Nós identificamos situações que já eram muito sérias e se tornaram perigosas com a pandemia da COVID-19. E isso resultou em números assustadores. Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em 2020, foram registradas 105.671 denúncias de violência contra a mulher, tanto do Ligue 180 (central de atendimento à mulher) quanto do Disque 100 (direitos humanos)”, indica Isabella França, Titular da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso, à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerância.

Compartilhe

175 comentários em “Zetra lança campanha de combate à violência doméstica”

  1. Pedro Martins de Campos

    Será de muita utilidade pois isso interessa da nossa parte seja masculina ou feminina, nesta época de pandemia a permanência de muitos dias enclausurados em casa pode começar por uma simples bate boca e dai gerar um atrito muito maior.

  2. Helga Ladwig Watson Coelho teixeira

    Precisamos sim combater esses crimes contra as mulheres. Nesta pandemia aumentou demais.
    Amei a colocação da empresa em relação ao tema.

  3. Rosângela Maria Mello Gonçalves dos santos

    Bom dia a iniciativel de vcs e muito boa e favorável em nós ajudar a acabar com a violência com as mulher parabéns.

      1. O tema se torna relevante a medida que sabemos que a grande maioria que prática esses atos, são frutos de um convívio familiar a base de agressões sofridas nas infâncias e adolescências, uma criança agredida torna-se em um adulto agressor, é necessário uma política de saúde mental para auxiliar esse tipo de comportamentos as leis em vigor só os tornou mais agressivos e as mulheres mais vulneráveis pois não tem confiança na justiça e muito menos na polícia.

  4. Rubião Gomes Torres

    A violência doméstica aumentou na pandemia. Esta campanha era mais do que necessária e muito pertinente. Aprovo a iniciativa.. Estou de pleno acordo com o conteúdo..

  5. Rubião Gomes Torres

    O aumento da violência doméstica neste ano de pandemia nos leva a ações educativas desse porte. Parabéns pela iniciativa.

  6. Ótima iniciativa, parabéns.

    Devemos nos atentar também à violência doméstica contra o homem, pois muito se fala em agressão à mulher à criança mas existe sim e muito agressão ao homem em muitos lares. Se muitas mulheres que sofrem agressão deixam de denunciar por vergonha imagina um homem chegar à delegacia e falar que apanhou?!
    Não só maridos que são agredidos pelas esposas mas também pais que apanham de seus filhos. Muitas vezes a mulher agride o homem e na tentativa de defesa o homem com sua força acaba deixando uma marca na mulher onde a mesma se aproveita dessa marca e faz denúncia “falsa” contra o homem que mesmo sendo a vítima vai preso fica tachado como bandido agressivo e respondendo processo por algo que não cometeu.

    Obs: falo (escrevo) escrevo isso porque já presenciei um caso assim, onde o marido foi agredido por muitos anos pela ex mulher e até pelas filhas, um dia para não ser agredido por uma faca na barriga, segurou a mão da mulher e “lutaram” , nessa luta a mulher escorregou no tapete bateu o braço na mesinha onde fez um ralado com um roxo de 2,5 cm (contatado pelo médico legista), a mesma esperta que é gritou socorro e ligaram para polícia. O homem apanhou mais do que bandido no meio da rua perante vizinhos e pedestres, foi preso teve q pagar fiança, agora cumpre medidas restritivas e ainda vai ter audiência para julgá- lo, porque não satisfeita a ex mulher mandou a irmã voltar à delegacia e falar que o homem ameaçou-a novamente, e tratando- se de Maria da penha a voz da(o) denunciante tem força irrevogável, o que torna “verdade” tudo o q ela falar até que o denunciado seja julgado e consiga provar ao contrário, o que é muito difícil, pois REALMENTE É MUITO DIFÍCIL acreditar que um homem seja agredido, violentado em casa , mas não é impossível e acontece com grande frequência.

    Assim como conseguimos conscientizar as mulheres que elas têm ajuda e proteção, agora também precisamos ajudar os homens que vivem na mesma situação.

  7. Gisocleide Alves da Silva

    Achei ótima essa iniciativa, até porque além de ser mulher e dona de casa, sou Assistente Social e essa é uma de nossas bandeiras, o não à qualquer tipo de violência !

  8. AMILSEM DE AGUIAR MUZER

    Boa noite ,é sempre muito bom saber que existem pessoas compromissadas com o bem estar das famílias .Sim porque família é um projeto do NOSSO SOBERANO E ETERNO DEUS. Então toda iniciativa nesse sentido ,ela é sempre bem vinda. Parabéns a ZETRA ,e pelo quadro de colaboradores competentes e compromissados.

  9. LUIZ CARLOS GUIMARAES SERAFIM

    A questão do combate à violência doméstica e à violência contra a mulher, em especial, são decisões políticas que a sociedade brasileira deve assumir na perspectiva de pôr em prática a construção do Brasil dos nossos sonhos; o Brasil que merecemos…

  10. LILIAN PATRICIA RODRIGUES DE MELO DA ROCHA NOGUEIRA

    Qual quer tipo de violência doméstica, deve ser tomada medidas drásticas! DIGA NÃO A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA! DIGA NÃO A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER.! VIOLÊNCIA. NÂAAAAAAAAAAOOOOOOOOOOOOOOOO !!!

  11. SUELY HENRIQUE DO CARMO

    Hoje em dia a violência doméstica vem crescendo drasticamente é com adultos crianças idosos, esta fora do limite, assim temos mais um meio de pedir ajuda, nas horas difíceis e bem discreta se muito alarde mas com uma grande eficiência e solução rápida.

  12. Sila Roberto Coelho

    Assunto de extrema importância. Advogo no Juízo de Violência Doméstica de Santa Maria-DF (FAJ/OAB-DF), e esse assunto faz parte do nosso dia-a-dia. Parabéns!!!

  13. Ana Cristina Nunes Franca

    Velada, a violência doméstica segue destruindo lares e vidas. Poder contar com mais um canal de denúncia para esse tipo abuso é muito importante .Parabéns pela iniciativa.

  14. Claudete Maria da Silva

    A violência contra as mulheres ,já vem de longos anos , eu sinto ainda como um resquício da escravatura ,mas as mulheres estão mudando estão entedendo que somos nós mesmas que precisamos lutar contra isso .nos valorizar e mostrar que somos unidas .e capazes de dizer NÃO A VIOLÊNCIA !.

  15. Claudemir Evaristo da Silva

    Acredito que todos os atos atualmente praticados são fruto da sociedade conseguiu denegerar a crriação que, antigamente respeitava seu semelhante como pessoa independente do sexo e etc…. Enquanto não fizermos uma reforma judicial estas inicietivas se transormarão somente em paliativos.

  16. AMBROZIO GONÇALVES DE SOUZA

    Nosso Brasil não merece tanta violência e covardia contra mulheres. Nossa justiça tem que ser mais rigorosa contra os agressores.

  17. Paulo Cesar Fornerolli

    Para mim o maior culpado continua sendo nossa Legislação, embora com a Lei Maria da Penha em vigor, a mulher que geralmente é violentada dentro de seu lar e consegue fazer registro Policial, continua a mercê do agressor porque as medidas protetivas não funcionam nesse país o que deveria de que existir, são leis mais rígidas….

  18. Carlo Marcelo Piazzetta

    Excelente iniciativa, Só com muita conscientização e educação podemos reverter estre quadro de violência principalmente contra jovens e crianças na sociedade

  19. Carlo Marcelo Piazzetta

    Só com muita conscientização e educação podemos reverter estre quadro de violência principalmente contra jovens e crianças na sociedade

  20. JOÃO OLIVEIRA NASCIMENTO

    Só mesmo com a conscientização da população e com os canais de denuncias sendo amplamente divulgados iremos diminuir esse tipo de crime.

  21. Pedro Ribeiro dos Santos

    Muito boa a iniciativa criada para o combate à violência doméstica; quanto a modificação do modelo, não estou satisfeito, pois, não consigo acessar o local dos meus consignados.

  22. HAROLDO RODRIGUES FERREIRA

    combate à todo e qualquer tipo de violência passa pela educação pública, gratuita universal e de qualidade inclusa laicidade….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Busca
Newsletter